10   +   6   =  

Presidente da FCF é homenageado pela Câmara de Vereadores de Criciúma

Em concorrida sessão, a Câmara Municipal de Criciúma concedeu na tarde de hoje uma “Moção de Aplauso” ao presidente da Federação Catarinense de Futebol, Rubens Renato Angelotti. Autor da proposta, o vereador Zairo Casagrande discorreu sobre as atividades de Rubens Angelotti desde a chegada dele à cidade de Criciúma, no início de 1984. No documento, o vereador Zairo Casagrande lembrou que “em todas as atividades exercidas, Rubens Angelotti o fez com muita dignidade e orgulho”.

Foto: Daniela Savi / Câmara Municipal Criciúma.

Em seguida, Casagrande destacou a paixão pelo esporte, demonstrada por Angelotti. “No Criciúma Esporte Clube, em ações envolvendo outros segmentos esportivos de Criciúma e na sua permanente dedicação ao futebol amador, Rubinho tem o reconhecimento do povo de Criciúma e do Sul do Estado” destacou o vereador.

Ao usar da palavra, agradecendo a homenagem, o presidente Rubens Angelotti, que já é Cidadão Honorário de Criciúma, destacou sua chegada à cidade com “a certeza de que escolheu o estado, a região e a cidade certa para fixar residência, constituir família e estabelecer suas atividades comerciais”. Sobre a homenagem Rubinho destacou: “Tenho certeza de que ela está recheada pela bondade que aflora no coração criciumense para com aqueles que aqui aportam, que fazem desta terra a sua terra. E com orgulho digo que fiz desta terra, a minha terra” destacou Rubens Angelotti.

Sobre a Federação Catarinense de Futebol, o presidente lembrou que chegou ao comando da entidade num momento triste “que nos abalou, mas também que nos escalou para o cumprimento de um dever: o de fazer o mais popular esporte do mundo, o futebol, retomar o caminho da crença, da aceitação da sua nova administração como uma empresa”. Rubinho encerrou lembrando que sua administração obedece o trinômio Renovação, Respeito e Transparência “que visa aperfeiçoar a ação administrativa da entidade, em defesa dos seus filiados, clubes e ligas com a transparência que o momento requer pela sociedade catarinense e brasileira”.